Cases de fashion delivery durante a crise

  • Post by Portal do Fashion Delivery
  • Jan 01, 0001
post-thumb

Durante momentos de crise, os lojistas, principalmente os pequenos, precisam ter muita força para prosseguir com seu trabalho. É necessário ser estratégico, pois com a rápida transformação do espaço, principalmente devido às novas tecnologias, não são somente os problemas que requerem soluções inéditas, mas também os clientes que demandam um serviço cada vez melhor e de valor.

Na pandemia de COVID-19, uma das soluções encontrada por muitos vendedores, independente do ramo, foi o delivery. Esse método de vendas permite que o cliente faça suas compras sem estar presencialmente na loja física, podendo cumprir o isolamento social. Porém, seja no ramo alimentício ou na moda, quem sai na frente é quem pensa mais do que na entrega do produto, mas também na experiência completa do cliente.

Nós aqui da Simbio somos apaixonados por inovação e nos sentimos muito inspirados quando vemos empresas que estão conseguindo continuar ou ampliar suas vendas no meio da crise implementando novas soluções. Por isso, viemos compartilhar cases de varejistas de moda de todo o Brasil que aderiram ao fashion delivery.

Esse primeiro caso é da Juliana Guterres da Meia & Cia. Após ficar 10 dias parada, retomou com toda a força com foco no fashion delivery e acabou se surpreendendo com o resultado: bateu recordes de vendas em maio! O álcool é o grande aliado da empresa contra a transmissão de coronavírus.

Acesse o Instagram da marca clicando aqui.

Já a Kaline Alcantara, de Pernambuco, está a frente da loja Bitsy, que atende o público infantojuvenil. Foi durante a pandemia que decidiu aliar ao seu e-commerce o serviço de envio de peças em condicional.

Acesse o Instagram da marca clicando aqui.

Na loja Clássico Closet, esse método de vendas é chamado malinha delivery. Para além da entrega somente dos produtos, o que faz sucesso é a consultoria na montagem da bag, voltada para o estilo do cliente, além do conforto. Ademais, tudo é higienizado para proteger colaboradores e clientes.

Acesse o Instagram da marca clicando aqui.

O fashion delivery foi amplamente usado em Curitiba pelas lojas Zero41, Dona Flor Mix, Secret Shoes e Aquarela Kids Store. Destaca-se o cuidado com a esterilização dos produtos, com vaporizador, álcool, luvas e máscaras, mas também a personalização dos pedidos.

Acesse o Instagram das marcas: Zero41, Dona Flor Mix, Secret Shoes, Aquarela Kids Store.

Em Belo Horizonte, a Laila Brand Shop - liderada por Laila Alves Ribeiro Campos - preza por fazer a entrega e retorno das bags sem nenhuma cobrança à cliente. Além disso, também foca na personalização e higienização.

Acesse o Instagram da marca clicando aqui.

Por fim, a Laviee Concept, que foi surpreendida com a pandemia e teve que interromper grandes projetos, também optou pelo delivery de moda para continuar a vender em Maringá, no Paraná.

Acesse o Instagram da marca clicando aqui.

Legal, não é? Esse post não é para você comparar o seu negócio, mas sim para inspirar e mostrar que para eles foi possível. Compartilhamos por acreditar nas relações, com troca de experiência e de energia, sem ninguém ficar para trás. Vamos tentar juntos?