OhLalá, como nasceu a principal marca de Fashion Delivery de Recife

Qual é o futuro do varejo hoje? Essa pergunta tem tudo a ver com a história da Daniele, nossa cliente e dona da OhLalá!, empresa de fashion delivery de roupas femininas de Recife. A Daniele nos contou que sempre foi apaixonada por moda, mas o que fez com que ela entrasse no caminho do fashion delivery foi justamente uma má experiência com esse método de vendas!

Ohlala Logo

“Em algum momento eu visitei uma loja de roupas femininas e verifiquei que eles tinham um serviço parecido [com o fashion delivery]. Achei o máximo e solicitei uma mala. Foi uma grande decepção quando chegou. Primeiro que veio tudo em um saco meio desorganizado, segundo que não veio o que tinha pedido. Os produtos enviados não me serviram e o atendimento online (WhatsApp) foi horrível e demorado. Ainda tentei mais duas vezes e não consegui comprar nada com a loja.”

O tempo passou e, frente à possibilidade de desemprego, Daniele resgatou essa experiência ruim como impulso para o seu espírito empreendedor e decidiu ter seu próprio negócio, coisa que sempre sonhou:

“[…] decidi fazer tudo de forma inovadora, com capricho e com foco em despertar boas sensações nas clientes. Em elas se sentirem importantes e satisfeitas com os produtos recebidos.”

Daniele ressaltou, porém, que não queria somente que as clientes ficassem satisfeitas com o produto, mas fez questão de agregar valores como o cuidado, zelo e empatia à sua empresa. E é claro que toda essa dedicação e carinho não tinham como dar errado! Segundo a empreendedora:

“hoje as clientes têm a sensação que estão recebendo um presente em casa, mesmo sem comprar nada. Elas não recebem só produtos, elas recebem o nosso cuidado e carinho.”

Ohlala Passos

Resultado de tudo isso são os feedbacks positivos das clientes:

“[…] é incrível como as pessoas ainda não conhecem esse tipo de serviço e se surpreendem com a experiência, com a novidade e com a nossa assertividade no tamanho e estilo.”

Apesar de hoje Daniele ter uma empresa linda, sustentável e que nos inspira muito, ela garante que passou sim por dificuldades da minha primeira compra de produtos até concluir o ciclo do serviço:

“É complicado você deixar uma mala onde o somatório dos produtos passam de R$ 5.000 com pessoas que você nunca viu e sem nenhuma garantia. Comecei tudo usando Excel, Google Forms, máquina de cartão e definindo tudo com muitas pesquisas. Eu não entendia nada sobre o serviço.”

Apesar de aparentemente simples, Daniele afirma que “a coisa é muito mais complexa do que se imagina.” Com 9 meses de empresa, a empreendedora conta que precisou de alguém para ajudar com os negócios da empresa. Então, encontrou sua sócia, a Lorena, que está na OhLalá! desde maio. Entre seus desafios hoje está a missão de tirar a impressão de que é uma sacoleira. As sacoleiras, na verdade, são as primeiras a praticarem esse método de vendas de levar as roupas na casa dos clientes. Hoje, porém, observamos uma crescente no mercado de profissionalização desse processo para o fashion delivery com uso de tecnologia e ferramentas específicas, garantindo um processo mais seguro e escalável.

Ademais, Daniele nos contou sobre a importância da Simbio hoje em sua empresa. A Daniele procurou a Simbio·Bag para garantir mais segurança através do processo de pré-autorização no cartão de crédito do cliente, mas descobriu que conseguiria muito mais do que isso.

“Hoje minha empresa é completamente controlada usando apenas o Simbio. Eu tinha diversas planilhas de controle. Hoje eu tenho unificação de estoque, controle financeiro, cadastro de clientes e controle de mercadorias enviadas para clientes. A comodidade de se vender um produto e o próprio sistema alimentar meu financeiro, meu estoque, é o máximo. Na aquisição do Simbio, ganhei mais tempo para me dedicar a outras atividades da empresa.”

Além disso, reflexo dos valores da OhLalá!’ e da construção de um vínculo com as clientes, Daniele relatou que, “existe uma relação de confiança muito grande [entre a OhLalá! e as clientes]. As clientes se sentem valorizadas e passamos para ela que confiamos nela. Funciona tanto, que algumas se sentem constrangidas em ficar com a mala. Hoje a OhLalá! está com um ano e pouco de existência e nunca tivemos um caso de extravio de bag ou de peças da mala.” Com isso, fica claro o quanto a profissionalização dos processos pode reverter toda a insegurança em um caso de sucesso!

Se começasse hoje no fashion delivery, Daniele conta quais dicas daria para si mesma:

“Eu daria dicas gerais de como iniciar uma empresa. Todo negócio precisa de planejamento e muito estudo. Como falei anteriormente, aparentemente é muito fácil vender roupas, mas até para comprar roupa em fornecedores existe burocracia. As pessoas precisam identificar o fashion delivery como uma empresa, desvincular a um vendedor(a) ou até deixar de usar o termo “sacoleira”. Hoje eu me daria a dica de iniciar o negócio com mais planejamento, criação de marca, objetivos e serviço bem definido. Errei e algumas vezes eu perdi dinheiro e tempo com achismos. Para mim, que não tinha experiência, não tinha referência e precisava criar tudo, a única solução era testar, mas eu deveria ter testado com planejamento. Um exemplo é que sempre achei que não precisava de um Plano de Negócio. Hoje a OhLalá! é uma empresa de Fashion Delivery com características próprias que foram criadas através das experiências e testes.”

Respondendo a pergunta lá no começo da matéria, para Daniele, o fashion delivery é, sem dúvidas, o negócio do futuro. Ela vê esse método de vendas como inevitável com a crescente modernização e tecnologia.

“[…] a medida em que o mundo se moderniza, as pessoas trabalham mais e necessitam cada dia mais de comodidades para sobrar mais tempo para curtir a família, amigos ou até um bom sofá com seriado.”

Por fim, perguntamos para Daniele como o fashion delivery fazia diferença no OhLalá!, e ela nos contou:

“no início eu queria abrir uma loja física, mas as condições financeiras não eram favoráveis. Após estruturar a OhLalá! de maneira online, tivemos algumas oportunidades de abrir loja física, mas não aceitamos. Não aceitamos porque hoje temos o grande propósito de poupar nossas clientes do caos do trânsito, estacionamento, custo com combustível… e causar a sensação de que ela está sendo valorizada, com muita empatia e cuidado em cada detalhe do ciclo do serviço. O Fashion Delivery não faz a diferença, nós somos o próprio Fashion Delivery.”

Ohlala Fluxo

Perguntas e dúvidas frequentes sobre Fashion Delivery (FAQ)

Preciso ter um site para operar com a bag de roupas Simbio·Bag no meu negócio? Não. A captação de clientes e a divulgação das peças pode ser feita de várias formas, tanto em redes sociais quanto diretamente para os clientes já cadastrados. Além dos produtos, é importante publicar ou enviar um questionário de estilo para ser preenchido pelo cliente, para ajudar na curadoria das peças que irão compor a maleta. Se você já possui ou pretende mesmo assim ter um site, é possível oferecer a bag como alternativa à compra direta.

Preciso ter uma loja física? Não. Com as bags você só precisa ter um lugar para armazenar o seu estoque. O contato com o cliente pode ser feito de diferentes maneiras, principalmente utilizando as redes sociais. Se você tiver uma loja física, essa é uma grande oportunidade para expandir o atendimento também na casa dos clientes, oferecendo diferentes experiências de compra para atender as necessidades do consumidor moderno. 

Preciso criar a minha maleta ou a Simbio·Bag fornece? Em breve o Simbio·Bag oferecerá opções de maletas para o transporte dos produtos, mas é recomendável que o lojista crie uma bag que fale a língua da sua marca, transformando-a inclusive em um produto exclusivo. Muitos lojistas que já utilizam o fashion delivery oferecem a própria bag como produto à venda, enviando junto uma sacola alternativa para a devolução dos itens não adquiridos, caso o cliente queira ficar até com a bag.

Como é feita a entrega das bags? O lojista escolhe a melhor forma de fazer a entrega. A Simbio incentiva o uso de bike boys para contribuir com um mundo menos poluído.

E se um cliente não devolver os produtos? Com o Simbio·Bag, o lojista tem a opção de fazer uma reserva (pré-autorização) do valor dos produtos no cartão de crédito do cliente antes de enviar a bag, garantindo total segurança à operação. O cliente tem acesso à política de uso da loja, na qual estão listadas as situações em que seu cartão poderá ser debitado por decisão do lojista, e só então autoriza a reserva do valor. Caso os produtos sejam extraviados ou retornem com alguma avaria, o lojista pode debitar o valor correspondente do cartão do cliente, de acordo com a política de uso.

Quanto custa? Acesse www.simbiobag.com.br e veja como adquirir o Simbio·Bag para a sua loja.